February 20, 2009

Prologo e chegada a India

SABADO 14.02.09
Pois bem, tal como a crystal ja explicou em ingles, apos uma noite sem dormir a ultimar detalhes e a encolher a nossa vida e uma farmacia (obrigado mae) numa mochila para carrega-la as costas durante os proximos 5 meses despedimo-nos dos meus pais e irmas e partimos em direccao a Valenca com o Daniel e a Kathina onde divagamos pelo forte e petiscamos uns bolinhos de bacalhau e umas cervejinhas numa esplanada duma pequena praca inundada por um sol que nao se via ha ja dois meses! Nao podiamos aspirar a um melhor comeco apos dois meses de chuva e frio!

A meio da tarde partimos em direccao a Santiago de Compostela onde no dia seguinte de manha apanhamos o voo para Londres. Chegamos a Santiago ja por volta das 18h espanholas mesmo a tempo de ver o por do sol iluminar todo o "Obradoiro" - fachada principal - e o Hotel dos Reis Catolicos e explorar o "casco viejo". A noite jantamos tapas na "Calle de Franco" e emborcamos duas garrafas de vinho tinto. Comeu-se bem embora o preco final fosse um bocado "puxadote". Dormimos em casa da minha irma Ines onde fomos muito bem recebidos pela Rita.

DOMINGO 15.02.09

Na manha de Domingo partimos em direccao ao aeroporto e despedimo-nos do Daniel e da Kathina...que juntamente com a Crystal nao conteve as lagrimas... vamos ter saudades daqueles dois!

Aterramos em Londres - Stansted - e apanhamos um autocarro para o centro. Muita construcao a sul de Londres devido ao J.O. de 2012 e ainda alguns resquicios de neve acumulados nas bermas de algumas estradas.

Frio, chuva e vento! Nao podia fazer mais jus a imagem pre-concebida idealizada na nossa cabeca quando nos vem a cabeca a cidade de Londres. No entanto deixou-me imediatamente com uma primeira impressao muito positiva e a prometer ainda mais, Londres tem tudo... parece-me que a cidade conseguiu juntar passado, presente e futuro atraves de um processo de osmose, sabendo absorver as quantidades e proporcoes ideais para harmoniosamente conciliar a interaccao entre os tres. Devido a intemperie e ao peso das mochilas decidimos saltar para dentro de um autocarro turistico valido por 48h mais um passeio de barco no rio Tamisa. Ao anoitecer encontramo-nos com o Gavin, uma das amizades travadas em Valencia, e a irma, Naomi num tipico pub no districto de Angel enquanto esperavamos que o Sye, amigo de longa data das ferias em Cullera, saisse do trabalho e se juntasse a nos. Incrivel como aquele bairro borbulhava intensamente apesar de ser domingo a noite. Todos os pubs estavam cheios para o tipico "Sunday's Roast" ao qual nao ficamos alheios. Concluimos a noite numa sala de cinema aproveitando o facto do filme "Slumdog Millionaire" ja ter estreado no Reino Unido. E...que filme!!!Dormimos confortavelmente em casa do Sye preparando o itinerario para o dia seguinte.

SEGUNDA 16.02.09
Na manha de Segunda o Sye deu-nos uma boleia ate a estacao de comboio uma vez que tinhamos que ir a Wembley para levantar os nossos passes de comboio para a India. Durante a viagem os suburbios verdes com casas de telhados escuros e inclinados apenas foram interrompidos pelo majestoso arco do estadio de Wembley. Apos levantar os passes apanhamos o metro para Westminster e o seu Big Ben. A Crystal ficou desapontada com Buckimgham mas disfrutou dos jardins reais, Trafalgar Square e Picaddily. Almocamos num restaurante japones - Wagamama - onde pude experimentar um optimo "Ramen". Depois de almocar fizemos o passeio de barco ate a Ponte de Londres. Voltamos para casa do Sye a meio da tarde onde reencontrei o irmao, Omar, e mae que acabou por nos dar uma boleia ate ao aeroporto. O check-in e o embarque decorreu sem quaisquer tipo de problemas apenas constatando que eramos dois dos poucos ocidentais no voo. O aviao revelou-se confortavel e foi o mais espacoso em que ja estive uma vez que para surpresa minha nao batia, nem de perto, com os joelhos no banco da frente. Para alem do mais tinhamos um visor LCD com filmes, musica, documentarios... A comida e o servico nao foram maus mas tambem ja tive muito melhor. De qualquer maneira fica registado um adeus a Londres. Foi um prazer conhece-la e ai voltaremos de certeza.

TERCA 17.02.09
Ja a sobrevoar o deserto do Teerao na fronteira com o Paquistao travamos amizade com o passageiro do lado, Sid. Indiano nos seus 29 anos que ja viveu nos USA e agora vive em Londres com varios negocios entre Londres e Delhi! Ofereceu-nos uma boleia com o carro que o ia buscar ao aeroporto e logo ali, ainda antes de aterramos, os nossos planos e os nossos mais de 6 meses de planeamento sofreram as primeiras "metamorfoses". Era mesmo isto de que estavamos a espera da India, so nao estavamos a espera era que acontecesse antes de la chegarmos! O Sid ficou no escritorio depois de me ajudar a trocar alguns euros por rupias e pediu ao conductor para nos deixar ficar no "Lotus Temple" uma vez que o Sid tinha dito que ficava muito perto do escritorio... so que pelo caminho como o condutctor nao tinha muita certeza de para onde ia acabou por nos deixar no "Lhodi Garden" e no seu complexo de templos em ruinas. Mais uma ligeira metamorfose que se revelou perfeita! Cansados da viagem e com as mochilas as costas, depois de cruzar o trafico caotico e infernal na zona sul de Delhi pudemos relaxar sentados ao sol com uma brisa suave apreciando o fantastico cenario em ruinas habitado por uma multitude de aves incluindo corvos, falcoes e papagaios, assim como esquilos e arvores centenarias. Foi aqui que comecamos a apercebermo-nos dos grandes contrastes sociais da India...e do contraste brutal entre os espacos caoticos e os espacos zen, a pobreza e a riqueza, a bondade e a maldade! Esta ideia foi ainda mais reforcada quando travamos mais uma amizade, com o Lokesh, que se aproximou educamente de nos e que durante a nossa conversa, sentados na relva e enquanto eu esquissava a paisagem, se revelou uma pessoa extremamente culta a acabar um Phd em historia e que trabalhava em colaboracao com a campanha turistica governamental "Incredible India!". Apos despedirmo-nos do Lokesh exploramos o resto do complexo e partimos em direccao ao "Tumulo de Safdarjang" onde disfrutamos do por do sol e tempo para mais um desenho. Ao anoitecer partimos para o caos do Main Bazzar em Paharganj e escolher o nosso quarto de hotel que tinha um agradavel restaurante na coberturam onde comi o melhor caril da minha vida!. Cansados, montamos a nossa rede mosquiteira e adormecemos profundamente abracados um ao outro. E preciso aproveitar enquanto ainda nao esta muito quente... lololol por agora a temperatura e amena (25C - 14C) e a humidade nao ultrapassa os 45%. Embora o ceu esteja sempre azul ha sempre uma nevoa no ar...mais particularmente smog...fumo...va la bastante poluicao apenas dissipadas entre jardins e tumulos....

Amanha ha mais...
Beijos e abracos

3 comments:

  1. Primaços!
    De Portugal vos saúdo com saudade e alegria! Saudade porque durante o tempo não vos vou ter, mas alegria porque conseguiram chegar bem à primeira grande etapa da vossa destemida viagem. O meu inglês ta péssimo, não pratico há meses e ler as coisas da Crystal foi embaraçador =X.
    "A Crystal ficou desapontada com Buckimgham". Parti-me a rir com esta frase hehe. Sabiam que o Palácio de Sua Majestade foi nomeado o edifício mais feio de Inglaterra? Oh yeah baby, é tão mal feito que no século XX tiveram problemas com entradas de pessoal estranho (do povo) pelas portas mal feitas e janelas mal soldadas =X.
    A Índia deve ser, de facto, um país exótico. Mas a poluição que voces referiram preocupa-me. Ainda hoje, no Público, vinha uma notícia sobre a vizinha China que relegou os planos das alterações climáticas para segundo plano, alegando a actual crise económica como prioritária. Assim é que não vamos a lado nenhum... Não conheço a Índia, um dia hei de aparecer por aí, mas a verdade é que espero, pela Mãe Natureza, que as coisas não sejam tao más como eu penso. Esperarei pelos vossos veredictos!
    Os Indianos também parecem um povo bastante generoso. Saem a nós =P! Tens de perguntar o que é que eles acham da nossa participação ai na Índia enquanto Império Marítimo. E pergunta ao teu amigo historiador se realmente percebe alguma coisa dos pioneiros da globalização =PP.

    Um grande, grande, grande abraço!
    Zé Pila

    ReplyDelete
  2. P.s.: O meu Pai está a treinar para superar esse caril. Ele está pior que estragado!! Quem sai beneficado sou eu: sai um caril para a mesa!! Hehehe! Abraços!

    ReplyDelete
  3. Pai Toni (em contraponto à Mãe Mané)February 20, 2009 at 6:49 PM

    Após uma leitura minuciosa ... dois aspectos há a salientar: primeiro, os indianos não sabem o que são as cedilas (lol) e segundo, Dona Mané, Prof. Miguel e Seu Nuno vão ficar muito tristes: o melhor caril não é de nenhum deles!!! Heheheheheheeh

    É um prazer ler os v/ relatos!

    ReplyDelete